Agenda Latino – Americana 2016: Desigualdade e propriedade

agendaltinoamericanaagendalatinoamericana1

Curiosamente, o tema de nossa Agenda Latinoamericana de 2016 vem fazendo-se a cada dia mais atual. Economistas teóricos, pensadores renomados, instituições sociais, observadores e formadores de opinião, concordam em suas conclusões: desde algumas décadas atrás, a desigualdade social do mundo está chegando a máximos desconhecidos, e está se aproximando de limites perigosos. É um tema de plena atualidade e sumamente urgente.

Por outro lado, a partir do que poderíamos chamar de amplos setores laicos da teologia da libertação, o tema é profundamente transversal: preocupar-se com a igualdade na sociedade humana, ainda que se trate de igualdade econômica, é assumir uma preocupação global, perguntar-se pela possibilidade infra estrutural primeira para todos aqueles outros valores fundamentais pelos quais lutamos: a justiça, a superação da pobreza e da exploração, os direitos humanos, a liberdade… Talvez só permaneceria um pouco debilitada dessa planificação a preocupação ecológica, que abordaremos, adiantando-nos, no ano que vem. Desta forma, em nossa Agenda, a Igualdade reveste-se desse caráter transversal quase transcendental, que lhe deram os revolucionários de todos os tempos: é um tema da tradição revolucionária! E aí vamos seguindo!

Inevitavelmente, por convicção histórica, nosso esquema segue o do método latino-americano: ver – julgar – agir.

Partimos, no VER, de uma chamada breve à situação da desigualdade no mundo, sobre a qual, afortunadamente, existem atualmente muitos materiais disponíveis para trabalhar o tema.

Para JULGAR esta situação, recorremos aos pensadores mais renomados de nosso continente e além dele, para que iluminem nossa reflexão.

Alguns “pontos quentes” fazem a transição até a parte final do AGIR, em que tratamos de sugerir conclusões, apontar caminhos, abrir pistas… mas haverá de ser cada comunidade, grupo ou pessoa que encontrará muitas outras, mais próximas e melhor aplicáveis à situação concreta.

Com esta edição cumprimos nossas bodas de prata: 25 anos. Humildemente, sem atirar a casa pela janela, celebrando-o simplesmente com a fidelidade anual da menção com nossos leitores, militantes da Pátria Grande, já na Pátria Mundial, até a Pátria Maior…

Uma vez mais temos que dizer: nossa Agenda não crê descobrir nenhuma novidade quando nos confronta com a perspectiva de temas tão amplos e tão profundamente humanos… Ela continua na direção de seu carisma: promover mudanças de consciência, ajudar a mudar nosso software, difundir uma nova “visão” que possa induzir novas práticas e estratégias. É nosso “capital”, o dos pobres: análise penetrante, consciência crítica, esperança criativa, a coragem utópica de sempre, e uma militância conscientizadora também como a de sempre, a de nossos mártires e lutadores, companheiros/as na construção da Pátria Grande/Pátria Mundial.

LivroAgenda 2016

O próximo ano, 2017, queremos dedica-lo ao tema da ecologia integral. Já fizemos uma primeira abordagem da questão, em 2010, com uma edição cujos materiais receberam muito boa acolhida. A situação ecológica planetária não tem melhorado, e novas chamadas de emergência (se fala inclusive de uma “última chamada”) estão nos fazendo a nível mundial. A Agenda não quer falhar: estará aí, somando forças com todos os que compartilham da convicção visionária desta urgência inadiável, tratando de ajudar-nos a dar uma resposta teórica e, sobretudo, prática.

É sempre a mesma Utopia que nos guia; somente a concretude de seus obstáculos e de nossas Causas é o que varia a cada ano.

Fraternal/Sororalmente,

vigilJosé Maria VIGIL, é teólogo espanhol claretiano, naturalizado nicaraguense e que vive atualmente no Panamá. É o responsável pela Comissão Teológica na América Latina da Associação Ecumênica de Teólogos/as do Terceiro Mundo (ASETT/EATWOT) e colabora com o sítio Servicios Koinonía, além de coordenar todos os anos a edição da“Agenda Latino-Americana Mundial”. Estudou teologia em Salamanca e em Roma, e psicologia em Salamanca,Madri e Manágua, e é doutor em educação em novos paradigmas pela Universidade La Salle de San José, Costa Rica. Dentre seus livros, destacamos Teologia do pluralismo religioso. Para uma releitura pluralista do cristianismo(Paulus, 2006, 469 páginas).

——————————- PARA MAIS INFORMAÇÕES ————————————
Eduardo Brasileiro
E-mail: sefras@franciscanos.org.br
Telefone: 3291-4433

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s