ATO NACIONAL FORA CUNHA & NÃO AO AJUSTE FISCAL – FRENTE POVO SEM MEDO.

12190998_1670070516597301_7659917247223992276_n

Todos/as às ruas dia 8 de novembro!

O Povo Sem Medo estará nas ruas neste 8/11, mês da Consciência Negra e Zumbi dos Palmares. Serão mobilizações populares em várias cidades brasileiras exigindo o Fora Cunha e contra o ajuste fiscal aplicado pelo Governo Federal e pelos Governos Estaduais.
Um dos grandes representante das atuais políticas conservadoras é o presidente da Câmara Eduardo Cunha. Não bastassem as medidas que retiram direitos da classe trabalhadora, juventude, mulheres, negras e negros, LGBTs e indígenas, Cunha está sendo investigado por corrupção. Já há provas claras de milhões de dólares em contas na Suíça, para completar a galeria de escândalos que o envolve, desde os desvios na Telerj no governo Collor. É um ladrão blindado, por isso ainda não caiu. Não entregaremos nossos direitos em nome de nenhuma governabilidade, e, por isso exigimos nas ruas o Fora Cunha.

Além disso, defenderemos as saídas populares para a crise econômica e política que estamos vivendo:

– Nenhuma saída à direita. Aqueles que historicamente governaram o Brasil e sempre contra a maioria do povo, agora colocam-se na condição de apresentar soluções para a crise. A mudança que propõem é com Michel Temer, Cunha/Renan e o PSDB. Está em curso uma agenda de retrocessos, que colocam em risco direitos sociais, políticos e civis, como a Lei das Terceirizações, a Redução da Maioridade Penal, o Estatuto da Família, a PEC da Corrupção/Contrarreforma política e o PL 5069/2013 que ataca o direito das mulheres. Não têm autoridade política e moral para isso. Não aceitaremos saídas à direita.

– O povo não pode pagar pela crise. A política de ajuste fiscal do Governo Federal e dos estados joga a conta da crise nas costas dos trabalhadores. Não podemos aceitar que a “crise fiscal” seja resolvida com ataque a direitos e cortes em áreas sociais, como a moradia e educação. Nem com uma política que aumenta juros, gera desemprego e arrocho salarial. Muito menos com concessões e privatizações do patrimônio público. No caso de alguns estados, como São Paulo, governos anunciam o absurdo de fechar escolas como parte do ajuste. Escola fechada será ocupada! A conta da crise deve ser paga por aqueles que mais ganharam no período da bonança, inclusive com subsídios públicos e desonerações: os ricos, grandes empresários e banqueiros. A crise deve ser paga pelo andar de cima, não pelo de baixo. Cortando privilégios, não direitos!

– A saída é com mais direitos e aprofundamento da democracia. A democracia brasileira é ainda limitada e precisa ser radicalizada. Este é o nosso desafio. Transformar o atual sistema político, que é aberto aos grandes interesses econômicos e fechado às demandas populares e lutar por democracia econômica, com mais direitos e distribuição de renda. Além disso, o aprofundamento da nossa democracia passa por garantir os direitos de manifestação, organização e de greve, atualmente ameaçados por várias inciativas – políticas e judiciais – como a Lei antiterrorismo, de iniciativa do Governo aprovada pelo Senado. Se há terrorismo no Brasil é aquele praticado pelas forças policiais no genocídio da juventude pobre, negra e periférica. Não há democracia com extermínio e autos de resistência. Por tudo isso, estaremos nas ruas!

Aqui está o Povo Sem Medo!

Curta a Pagina Povo Sem Medo clicando aqui

DSC_0683.JPG“Hoje, mais do que nunca é momento de consciência de classe!
É momento de reconhecimento de todas as causas estruturantes que geram opressão à classe trabalhadora. Com a necessária visualização dos recortes de gênero, de raça e de orientação sexual.
Hoje é hora de solidariedade e unidade na luta de uma sociedade igualitária e humana. É hora de radicalidade na construção das utopias. De enfrentamento do medo, de superação das divergências em prol da unidade . É hora sobretudo, de confiança da força da ação popular e classista para vencer o conservadorismo e a intolerância.
Para a efetivação concreta na sociedade, sobretudo pelo essencial apoio da juventude, cada vez mais preparada, confiante, solidaria e atuante.
Povo sem medo obrigado por renovarem nossas mentes e esperança.”
(Jorge Souto Maior)

INTELECTUAIS, ARTISTAS E FIGURAS PÚBLICAS QUE APÓIAM O “POVO SEM MEDO”

Frei Betto, escritor e frade dominicano.
Jorge Souto Maior, juiz do trabalho e professor da Faculdade de Direito da USP.
Gregório Duvivier, ator e escritor
André Singer, professor de Ciência Política da USP
Ermínia Maricato, urbanista e professora da FAU/USP
Leonardo Sakamoto, jornalista
Hugo Melo Filho, juiz do trabalho e professor de Direito da UFPE
Lincoln Secco, professor de História da USP
Laerte Coutinho, cartunista
Vladimir Safatle, professor de Filosofia da USP
Raquel Rolnik, urbanista e professora da FAU/USP
Laymert Garcia dos Santos, professor da Unicamp
Ferrez, escritor
Priscila Figueiredo, professora de Letras da USP
Luiz Martins, professor da ECA/USP
Maria Rita Kehl, psicanalista
Jean Tible, professor de Ciências Políticas da USP
Marcelo Freixo, deputado estadual pelo PSOL/RJ
Lucio Flavio de Almeida, professor da PUC/SP
João Sette Whitaker, urbanista e professor da FAU/USP
Jean Wyllys, deputado federal pelo PSOL
Alberto Alonso Muñoz, juiz de direito e membro da Associação da Juízes para a Democracia
Ruy Braga, professor de Ciências Sociais da USP
Felipe Brito, professor da UFF
Gilberto Maringoni, cartunista e professor da UFABC
Jair Pinheiro, professor da Unesp
Chico Miraglia, professor do IME/USP
Debora Goulart, professora da Unifesp
Eliel Ribeiro Machado, professor da Universidade Estadual de Londrina
Marcelo Totti, professor da Unesp
Cloves Barbosa, professor da Universidade Federal do Sul-Sudoeste do Pará
Henrique Novaes, professor da Unesp
Ricardo Musse, professor de Ciências Sociais da USP
Paulo Kliass, economista
Leci Brandão, cantora e deputada estadual pelo PC do B/SP
Carlos Latuff, cartunista
Ivan Valente, deputado federal pelo PSOL
Orlando Silva, deputado federal pelo PC do B
Luciana Genro, ex-candidata a presidente da República pelo PSOL
Edmilson Rodrigues, deputado federal pelo PSOL
Chico Alencar, deputado federal pelo PSOL
Ana Mercês Bahia Bock – psicóloga
Laura Capriglione, jornalista e militante do coletivo Jornalistas Livres
Nilce Aravecchia, professora da FAU/USP
Fernando Santomauro, pesquisador
Lindberg Farias, senador da República pelo PT
Alana Moraes, antropóloga
Altamiro Borges, blogueiro e militante do Centro de Mídia Barão de Itararé
Odair Furtado, psicólogo
Maria da Graça Gonçalves, psicóloga
José Agnaldo Gomes, psicólogo
Francisco José Castilhos Karam, professor de jornalismo da UFSC
Paulo Nakatani, presidente da Sociedade de economia política.
Clarisse Chiappini Castilhos, economista
Carlos Schmidt, professor emérito de economia da UFRGS
Billy Graeff, professor da Universidade Federal do Rio Grande – FURG
Rafael Passos, Arquiteto e Urbanista, vice presidente do IAB/RS
Fernando Campos Costa, membro Amigos da Terra Brasil
Leandro F. Andrade, psicólogo
Edna Peters Kahhale, psicóloga
Rosângela Sartechi, professora da FFLCH/USP
Marcus Vinicius de Oliveira Silva, psicólogo professor emérito da UFBA
Annie Schmaltz Hsiou,professora da USP campus Ribeirão Preto
Otaviano Helene, professor do Instituto de Física da USP
Andrea Caldas, diretora da Faculdade de Educação da UFPR
Cid Benjamin, jornalista e escritor
Lisete Regina Gomes Arelaro, professora da Faculdade de Educação da USP
Silvio Duarte Bock, pedagogo
Wanda Maria Junqueira de Aguiar, psicóloga professora da PUCSP
César Antunes, professor da Faculdade de Odontologia da USP Ciro Teixeira Correia, professor
do Instituto de Geociências da USP
Ivana Jinkings, editora – Boitempo Editorial
Marcos Ribeiro Ferreira, psicólogo e professor emérito da UFSC
Odilon Guedes, economista
Osvaldo Coggiola, professor de História da USP
Reginaldo Mattar Nasser, chefe do Departamento de Relações Internacionais da PUC/SP
Suzana Salem, professora do Instituto de Física da USP
Eduardo Fagnani, professor do Instituto de Economia da Unicamp e coordenador da rede
Plataforma Política Social
Ivã Gurgel, professor do Instituto de Física da USP
Valéria de Marco, professora da FFLCH/USP
Demétrio G. C. de Toledo, professor do Bacharelado em Relações Internacionais da UFABC
Heloisa Daruiz Borsari, professora do Instituto de Matemática da USP
Marco Brinatti, professor da Escola Politécnica da USP
João Zanetic, professor do Instituto de Física da USP
Pedro Paulo Zahluth Bastos, Fórum 21 e professor associado de economia da Unicamp
Elisabetta Santoro, professora da FFLCH/USP
Kimi Tomizaki, professora da Faculdade de Educação da USP
Milton Temer, ex-deputado federal (PT), dirigente do PSOL
Vera Malaguti Batista, professora da UERJ
Nilo Batista, professor da UERJ e UFRJ
Adriana P. B. Tufaile, professora da EACH/USP
Hamilton Octávio de Sousa, jornalista e professor da PUC/S
12189795_1669230783347941_7634061297376207721_n

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s