Sobre o corpo de Cristos(as).

10995450_1008328629194496_6084714743704679389_nEu tiraria todos – um por um – de cima de você neste momento, irmã. Eu limparia seu corpo, tiraria o som dos seus ouvidos, o cheiro deste lugar, as lembranças. Se o tempo voltasse, eu os impediria de terem saído de casa. Todos eles.

Eu desligaria os celulares, os computadores, tiraria baterias dos carros, dos ônibus. Eu faria feitiço, veneno, poção, dor de barriga para todos. Trinta.

Eu te levantaria daí e te levaria pra ver o pôr do Sol no Arpoador, se o mundo girasse ao contrário… Mas o mundo não gira.

Foram Trinta.

Um ex-companheiro e vinte e nove “amigos”. Nenhum deles se compadeceu. Vinte e nove seres humanos toparam se unir a um criminoso.

Trinta.

Trinta e um agora compartilharam. Trinta e dois riram. Trinta e três justificaram. Trinta e quatro se excitaram, trinta e cinco procuram o vídeo neste momento.

Agora o número se torna uma projeção geométrica. A misoginia aparenta infinita, o ódio e o machismo aparentam grandiosos demais. A primeira reação do público masculino em geral é ver o vídeo.

No entanto, quando pensei que fôssemos só nós duas, olhei para o lado e vi três, quatro, cinco. Chegaram seis, sete, oito, trinta.

Em segundos fomos noventa, cem, mil, somos milhares por você. Aquele som, aquele cheiro… Queremos que sua memória apague, mana!

E que o mundo nos ouça: “A CULPA NUNCA É DA VÍTIMA”. Que ecoe.

Que ecoe: Daqui vocês não passam. Não passarão.

Que cada uma de nós seja porta voz do ocorrido¹. Se a grande mídia não denuncia a violência contra a mulher periférica, que nossas mãos sejam denúncia.

Na violência contra a mulher todas metemos a colher.

DENUNCIE.

No site do Ministério Público, Polícia Federal e disque 180. Mexeu com uma, mexeu com todas.
Texto de Luara Colpa

Notícia: http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2016/05/jovem-que-teria-sido-vitima-de-estupro-coletivo-faz-exames-no-rio.html

 

Anúncios

Três em um, um Deus plural.

trindade
André Rublev.

Celebra-se hoje, entre cristãos, o mistério – e que mistério! – da Santíssima Trindade.

 
O bonito disso, e compreensível também por não-crentes, é esse reconhecimento da diversidade, do múltiplo, do gregário. Em todos os aspectos da vida, em toda a natureza.
 
O monoteísmo não pode ser monotemático. “Sou vário, sou plural, sou mil”, dizia Mário de Andrade. Somos semelhantes a esse Deus da Trindade. Segundo frei João Reinert, franciscano, “o Pai/Mãe ama, o Filho/a é o amado, o Espírito é o amor, e é próprio do amor transbordar”. Criador, criatura, criação!
 
Qualquer totalitarismo unicista, que pretenda reduzir nossa pluralidade, é redutor, medíocre. Somos todos iguais, mas todos diferentes!
Chico Alencar

IPDM: NOTA SOBRE O MOMENTO POLÍTICO.

Ato contra o golpe

“Se calarem a voz dos profetas as pedras falarão”

A Igreja Povo de Deus em Movimento, coletivo de paróquias, comunidades, leigos e leigas, religiosos e religiosas e padres, subscreve esta carta na dolorosa situação política que assola o país. Unidos ao espírito profético das notas da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), do Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (CONIC), do Conselho Latino Americano de Igrejas (CLAI), da Igreja Presbiteriana Unida (IPU), da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IECLB) e da Igreja Episcopal Anglicana do Brasil (IEAB) viemos a público manifestar à todo o povo brasileiro em especial a todas as comunidades de fé a importância da defesa da democracia. Para isso, conclamamos o povo:

1- A repudiar a qualquer ato de intolerância e ódio que está se espalhando sobre nossas cidades contra pessoas de Movimentos Sociais e da Esquerda, por insuflar uma convulsão social e a barbárie. Não podemos vacilar: A via da igualdade é outra.

2- A termos consciência de que a mídia do nosso país enriqueceu-se no período “obscuro da nossa história” chamado Ditadura civil-militar. De que a mídia serve a interesses econômicos daqueles que não são gente humilde e trabalhadora. Não podemos vacilar: A via da informação é outra.

3- A termos serenidade de que nossos juízes precisam ser firmes no Estado de Direito na luta contra a corrupção no país e que isso passa pelo não vazamento seletivo de informações como vem sido feito. Não podemos vacilar: a via da justiça é outra.

4- A termos esperança que a democracia é o melhor caminho para vencermos a corrupção e, portanto, devemos lutar para que a Operação Lava Jato tenha um caráter republicano (punindo quem tem provas de ilegalidade) e não pirotécnico visando auto promoção de um ou outro “herói da nação”Não podemos vacilar: A via da democracia é outra.

5- A termos paixão pela coisa pública pedindo aumento do investimento público ao contrário de toda e qualquer privatização que visa o lucro dos mais ricos. Não podemos vacilar: a via do povo é outra. 

6- A termos políticas sociais com programas de garantia da subsistência dos mais pobres, vencendo o ódio contra pobre. Não podemos vacilar: a via dos direitos sociais é outra. 

7-   A termos sororidade e fraternidade com mulheres, negros, jovens e pobres que sofrem violência por parte do Estado, das instituições e da própria sociedade. A lutar pela consolidação dos Direitos Humanos ainda sem lugar no debate público. Não podemos vacilar: A via da humanização é outra. 

8-   A termos organização popular para perceber que os movimentos que convocam o povo às ruas pelo impeachment são patrocinados por políticos de conhecida conduta de perseguição aos Direitos Humanos como se comprovou em suas falas na  Paulista no domingo, 20 de março pp. Não podemos vacilar: A via para lutar contra os ataques aos trabalhadores é outra.

Cremos “em novo céu e nova terra” a partir de outra via. Indicamos o fortalecimento nas ruas das Frentes Nacionais de mobilização do povo conhecidas como Frente Povo Sem Medo e Frente Brasil Popular, bem como a 25ª Caravana dos Movimentos Sociais da Zona Leste para Brasília. É por aí que lutaremos pela igualdade de mulheres, negros, indígenas e pobres por efetivação da educação, saúde, emprego e investimentos em avanços socioeconômicos que respeitem a terra, as brasileiras e os brasileiros.

Proclamamos, como a Campanha da Fraternidade Ecumênica de 2016, a firmeza do profeta Amós “quero ver o direito brotar como fonte e correr a justiça qual riacho que não seca” (Am 5, 24). A via do Direito a da Justiça, a partir da voz do nosso povo, não nos afastará em construir uma sociedade nova.

Igreja Povo de Deus em Movimento.
Zona Leste de São Paulo, 17 de março de 2016.

Links das notas de movimentos religiosos a favor da democracia:

IPDM: https://teologialibertacao.wordpress.com/2016/03/18/ipdm-nota-sobre-o-momento-politico/

CONIC: http://www.conic.org.br/portal/noticias/1798-em-nota-conic-defende-respeito-as-regras-democraticas

CLAI: http://www.conic.org.br/portal/noticias/1802-posicionamento-do-clai-brasil-em-defesa-da-democracia

CNBB: http://www.conic.org.br/portal/noticias/1797-cnbb-divulga-nota-sobre-o-momento-atual-do-brasil

IECLB: http://www.conic.org.br/portal/noticias/1799-em-nota-igreja-luterana-ieclb-conclama-para-o-dialogo

IEAB: http://www.conic.org.br/portal/noticias/1800-nota-do-primaz-da-ieab-sobre-o-momento-politico-brasileiro

IPU: http://www.conic.org.br/portal/noticias/1801-declaracao-de-solidariedade-a-igreja-presbiteriana-unida-ipu